ANIMAIS VENENOSOS

Aranhas e Escorpiões

Adaptado do texto publicado em animais.com.br

ACIDENTES COM ESCORPIÕES:


Os escorpiões são seres que só picam quando se sentem ameaçados. São animais de hábito noturno. Têm como habitat ambientes pouco desbravados e bastante reclusos.
Apesar do folclore que existe acerca desse animal, a sua letalidade depende da toxidez da picada, da quantidade de veneno injetado e do tamanho da pessoa atingida.

Grande parte das vítimas desse acidente conseguem sobreviver.

O veneno dos escorpiões é neurotóxico (age no sistema nervoso central). A sua picada geralmente é dolorosa. Em casos mais graves pode ocorrer parada respiratória ou parada cardíaca, principalmente quando acomete crianças e pessoas idosas.

Sinais e Sintomas:


Como prestar os primeiros socorros para uma vítima picada por um escorpião:

Siga as mesmas indicações para o acidente com serpentes.


ACIDENTES COM ARANHAS:


São animais que só atacam quando atacados, não são agressivas. As aranhas apresentam uma peculiaridade: possuem hábitos domésticos, muitas vezes fazendo seus ninhos dentro de nossas casas, talvez por isso os acidentes com aracnídeos são mais comuns comparados com os que ocorrem com escorpiões e ocorrem com mais freqüência entre os meses de março e maio.


Os sintomas apresentados pelas vítimas desses acidentes são muito parecidos com os das vítimas de escorpiões.

Como prestar os primeiros socorros para uma vítima picada por uma aranha:

Siga as mesmas indicações para o acidente com serpentes.

 


Aranha Armadeira (Phoneutria)
Acidentes muito frequentes, 75%; aranha muito agressiva, com hábitos vespertinos e noturnos. São encontradas em bananeiras, outras folhagens e no interior de residências. Não faz teia. Sintomas: dor intensa no local da picada. Tratamento: infiltração ao redor da picada com anestésico do tipo Xilocaína, sem vasoconstritor

Aranha Marrom (Loxosceles)
Acidentes pouco frequentes, 65%; aranha pouco agressiva, com hábitos noturnos. Encontram-se em pilhas de tijolos, telhas, beiras de barrancos e também nas residências. Teia irregular. Sintomas: na hora da picada, dor pequena e despercebida; após 12 a 24 Hs, dor local com inchaço, mal-estar geral, náuseas, e, às vezes, febre. Pode causar necrose local. Caso grave: urina cor de coca-cola. Tratamento específico: soro antiaracnídeo polivalente ou soro antiloxoscélico. A aplicação do soro deve ser precedida de teste.

Tarântula (Lycosa)
Acidentes frequentes, 18,75%; aranha pouco agressiva, com hábitos diurnos. São encontradas em beira de barrancos, gramados (jardins) e nas residências. Não faz teia. Sintomas: geralmente sem sintomas; pode haver pequena dor local, havendo a possibilidade de evoluir para necrose local. Tratamento específico: nenhum.

Caranguejeiras
Acidentes pouco frequentes. As aranhas atingem grandes dimensões e algumas são muito agressivas; possuem ferrões grandes, responsáveis por ferroadas dolorosas. Tratamento: anti-histamínico via oral, se necessário. Tratamento específico: nenhum.


Escorpião Preto (Tityus bahiensis)
Escorpião Amarelo (Tityus serrulatus)

   Os acidentes com escorpiões são pouco frequentes. Os escorpiões são pouco agressivos e têm hábitos noturnos. Encontram-se em pilhas de madeiras, cercas, sob pedras, cupinzeiros e adaptam-se bem ao ambiente doméstico. Sintomas: dor local imediata, muito intensa e irradiada. Evidencia-se o ponto ÚNICO da picada ou não, podendo o animal picar mais de uma vez. Tratamento sintomático: infiltração local com anestésicos tipo Xilocaína. O tratamento específico somente é utilizado:
- quando o acidentado apresentar mal-estar geral;
- quando após duas infiltrações com anestésico a dor persistir.
   Tratamento específico: soro antiescorpiõnico ou aracnídeo polivalente. A aplicação do soro deve ser precedida de teste.